Funaná, rock e eletrónica: A primeira noite no Palco Ruc

Funaná, rock e eletrónica: A primeira noite no Palco Ruc

Palco da Rádio Universidade de Coimbra estreou com sonoridades dispares, mas uniu o público até ao fim. Nova localização permite maior adesão dos estudantes. Texto por Raquel Medeiros. Fotografias por Carlos Almeida, Raquel Medeiros e Pedro Dinis Silva

Magia Negra abriram a primeira noite do Palco Ruc, mas com pouca resposta do público. Talvez por ser “muito cedo”, o relvado contava com a presença dos poucos, mas bons, entusiastas fiéis ao clima que o espaço proporciona. Maria Rodrigues, estudante da Escola Secundária de Cernache, explica que a noite ainda está a começar e que as expetativas são altas.

No entanto, o vazio não demorou a ser preenchido. Pelas 2 horas da manhã, o espaço já se encontrava composto. NU entraram em palco e a sua energia não passou despercebida. A banda de ‘rock’ experimental atraiu os estudantes com um jogo de luzes conjugado com uma rica e intensa musicalidade.

Cristina Lemes, estudante de enfermagem na Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, acredita que são nomes como este que tornam o festival “mais académico”. A estudante de enfermagem salienta que existe muito talento escondido no país e que o Palco Ruc convida a academia a usufruir do mesmo.

O vocalista dos NU, Rui Pedro Almeida, destacou-se pela complexidade dos movimentos corporais que prenderam o olhar de muita gente, à medida que o concerto avançou. Quando o espetáculo chegou ao fim, os aplausos dispararam.

Chegou o momento de Scúru Fitchádu subir ao palco, uma combinação de funaná com punk. A sonoridade agressiva do grupo moveu os estudantes que se compuseram e ocuparam quase todo o recinto.  A agitação na plateia foi imensa: ” Ouvi dizer que aqui é “o” sítio”- gritou o vocalista, Marcus Veiga.

Segundo Fernando Bastos, estudante de Enfermagem na Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, o Palco Ruc dá oportunidade a bandas talentosas e menos conhecidas. Realça também a melhoria da atividade do palco e a diversidade musical “tão típica” do sítio.

Para finalizar a primeira noite de palco, DJ Paypal apresentou-se no cenário. A multidão estendeu-se ainda mais. Mariana Azevedo, estudante de Estudos Europeus na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, salienta que o Palco Ruc é o melhor lugar para acabar a noite pela qualidade musical.

O balanço da noite é positivo- “casa” cheia e concertos que fizeram estremecer o recinto. A nova localização do palco também é destacada por Leonardo Pereira, membro da organização do Palco Ruc. Segundo o mesmo, o espaço é mais acolhedor e profissional e, por situar-se ao pé da entrada, é mais reconhecido.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *