Do folclore à saudade: Orquestra Típica e Rancho e Estudantina

Do folclore à saudade: Orquestra Típica e Rancho e Estudantina

Orquestra Típica e Rancho iniciou a noite com poucas pessoas. No encerramento do palco principal, um público maior e mais envolvido acompanhou a Estudantina. Texto por Gabriela Moore. Fotografias por Hugo Guímaro, Gabriela Moore e Pedro Dinis Silva

A segunda Noite do Parque da Queima das Fitas 2018 começou com a Orquestra Típica e Rancho (OTR) no palco principal. A apresentação do grupo folclórico da Secção de Fado da Associação Académica de Coimbra (SF/AAC) contou com a típica pouca adesão do início das noites.

O pequeno público era bem diversificado e não contava somente com estudantes. No entanto, muitos dos que ali estavam não foram com o objetivo de assistir à primeira apresentação, mas sim esperar pela próxima. Mesmo assim, gostaram das danças e músicas típicas a que assistiram. Rosa Neves, ex-estudante do curso de Ciências da Informação na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC), chegou já ao final da apresentação, mas aprovou as roupas e o motivo folclórico do grupo.

A não-novidade foi, mais uma vez, a crítica ao horário da atuação atribuído aos grupos académicos por parte da organização. A ex-aluna da FLUC considera que a boa apresentação merecia ter um público maior a acompanhar, o que não ocorre pelo facto de o recinto ainda estar bem vazio no horário em que sobem ao palco – hoje, por volta das 23h.

Depois da curta apresentação da OTR, o rock de Xutos e Linda Martini atraiu grande público para o palco Forum Coimbra. No encerramento da noite, a Estudantina Universitária de Coimbra foi acompanhada por um público bem maior do que o primeiro grupo estudantil da noite.

Entre provocações ao dux veteranorum com “Afonso” e críticas frequentes à Comissão Organizadora da QF (“A Comissão Organizadora trata-nos mal, mas vocês sempre nos tratam bem”), músicas como “Madalena” e “Traçadinho” levaram a plateia, agora já composta quase exclusivamente por estudantes, a cantarem e a divertirem-se junto à Estudantina. Assim como a Orquestra Típica e Rancho, os “velhos”, ex-integrantes dos grupos, subiram ao palco e juntaram-se à apresentação.

Francisca Cantante, estudante da Faculdade de Direito da UC (FDUC), cantou junto as músicas mais conhecidas do grupo. A estudante, assim como a irmã, Raquel Cantante, também estudante de Direito da FDUC, ao contrário da maioria dos presentes na plateia da OTR, foram ao recinto nesta segunda noite principalmente por causa da Estudantina. As irmãs admitiram terem-se emocionado com a “Balada da Despedida”, que foi das últimas músicas a ser tocada, e, como sempre, levou às lágrimas os diversos grupos de amigos abraçados a cantar juntos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *